Avançar para Conteúdos

A inovação é muitas vezes vista como um progresso imediato, mas, em muitos casos, os grandes avanços são, na verdade, o culminar de anos de trabalho. Mas vale a pena esperar pela inovação. Esta pode mudar a experiência do cliente para sempre e, por vezes, até inspirar a concorrência. Isto é válido para qualquer produto, incluindo carros, produtos financeiros, smartphones e televisões.

No que toca à inovação, a paciência e a perseverança compensam. Na experiência da LG, este tem realmente sido o caso com a tecnologia televisiva (e, em particular, os seus painéis OLED), na qual a empresa se tornou líder de mercado. 

OLED, caso não saiba, quer dizer «organic light-emitting diode». Em termos simples, isto significa que cada pixel individual que constitui a imagem se ilumina. Quando se liga televisão, milhões de díodos, finos, flexíveis e incrivelmente pequenos, acendem-se para criar uma experiência de visualização sem paralelo. 

Esta tecnologia, que a LG tem vindo a aperfeiçoar há anos, proporciona uma imagem globalmente superior aos ecrãs LED e LCD. Com um contraste impressionante que mostra tons pretos perfeitos, cores realistas e potencial de flexibilidade e delgadeza além do imaginável, a TV OLED da LG é um exemplo de inovação persistente no seu melhor.

OLED technology allows flexibility like no other, creating the possibility for a rollable TV | More at LG MAGAZINE
OLED technology allows flexibility like no other, creating the possibility for a rollable TV | More at LG MAGAZINE
1987: a tecnologia OLED é criada

O OLED não é uma nova tecnologia; longe disso. Apareceu pela primeira vez em 1987, com a Kodak a desenvolvê-la para as suas câmaras digitais. Mal se sabia que aquilo que a Kodak havia criado traria tantas possibilidades emocionantes ao mundo da televisão.


2004: a primeira TV OLED

Só no novo milénio é que as empresas de eletrónica começaram a compreender aquilo de que a tecnologia OLED era realmente capaz. A Sony, por exemplo, lançou a sua primeira televisão OLED em 2004, ao passo que a Toshiba, a Samsung e a Panasonic também se envolveram nos painéis OLED que tanto potencial tinham.

Mas, nem tudo foram rosas. A vida útil das TV OLED era, então, curta. O custo constituia também um problema, e era complicado para as marcas desenvolver uma TV OLED a preço acessível, pelo que os preços de um ecrã de 11 polegadas rondavam uns assustadores 2500 dólares norte-americanos. 

Era óbvio que as pessoas acreditavam na tecnologia, mas esta precisava de ser aperfeiçoada. E isso leva tempo. Se era para fazer, então que fosse bem feito.


2010: a LG entra no mercado

Inovação contínua: era este o princípio que guiava a LG. Mantiveram a fé e, em 2010, criaram a TV OLED 15EL9500 de 15 polegadas da LG. Com um ecrã superplano e bonito, e um design elegante, o primeiro produto OLED da LG foi um sucesso. Vendo bem, foi apenas o princípio.

One of LG's first OLED TVs was released in 2010.
One of LG's first OLED TVs was released in 2010.
2012: uma TV OLED que bateu recordes

A LG continuou a aperfeiçoar a sua tecnologia OLED, empregando tempo e recursos na criação da melhor solução de entretenimento do mundo. Em 2012, a primeira televisão de painel OLED de 55 polegadas foi lançada pela LG, sendo o maior ecrã de sempre até essa altura. Mas mesmo então, poucos sabiam que esta inovação seria a tecnologia de TV mais revolucionária de sempre. 


2013: um novo líder de mercado

Passado um ano, muita coisa tinha mudado. Em 2013, a Sony e a Panasonic encerraram a sua parceria com o OLED. Segundo elas, o projeto não oferecia o crescimento que esperavam e receavam que as televisões OLED não fossem «comercialmente viáveis». 

Ao passo que estas marcas regressaram à prancha de desenho, a LG manteve a calma e investiu ainda mais na tecnologia. Outras marcas também hesitaram, mas a LG manteve-se fiel ao seu compromisso de tornar o OLED uma tecnologia viável e de o comercializar. Em 2013, a LG lançou as suas TV OLED, alcançando rapidamente sucesso no mercado das televisões. Foi o princípio daquela que seria a história de sucesso com mais vendas*. 

LG showcased OLED technology at IFA 2013.
LG showcased OLED technology at IFA 2013.
2015: uma nova tática

Avancemos dois anos. Em 2015, a Samsung, outrora concorrente da LG no mercado do OLED, avançou noutra direção. Preocupados com o custo do investimento nesta tecnologia, criaram a sua própria marca, o Q-LED. Mas embora o Q-LED faça igualmente parte da família dos LCD, com cores mais vívidas devido à adição de uma folha de cor, a LG continuou a liderar no que diz respeito a formar uma tecnologia OLED verdadeiramente inovadora. 


2017: a LG como fonte de inspiração

Passaram-se mais dois anos e a LG, não se deixando influenciar pela mudança de estratégia da Samsung, alcançou outro marco histórico. A persistência foi recompensada quando, em 2017, a LG Display passou a fornecer painéis OLED à Sony, Panasonic, Toshiba, Philips e Loewe para as suas TV. 

2019: quebrando barreiras

Atualmente, esta tecnologia revolucionária continua a criar possibilidades intermináveis no mercado das televisões, tornando possível aquilo que parece impossível. Para o provar, acaba de ser lançada a primeira TV desdobrável, apenas possível devido à natureza flexível da tecnologia OLED. 

O céu é o limite para as televisões OLED. E a LG, detentora da patente desta tecnologia, impulsiona esta mudança. A TV OLED 8K está já no horizonte, com a imagem icónica aperfeiçoada por um contraste imbatível com o qual o Q-LED simplesmente não consegue competir. 

A história da tecnologia OLED comprova que a inovação não tem tanto que ver com um momento Eureka, mas que é antes uma questão de paciência, persistência e pensamento arrojado. 

Life's Good!

* Isenção de responsabilidade: Com base no IHS Markit, Technology Group, TV Sets Market Tracker, 4.ºT de 2017. A classificação não tem o apoio da LG. A fiabilidade destes resultados é do risco exclusivo de terceiros. Visite technology.ihs.com para obter mais informações.